Escolha uma Página

Low cost – Vilão ou oportunidade para seu negócio fitness?

A oportunidade das lowcost

 

Afinal, este tipo de negócio te mata ou te fortalece?

 

Ford sobre oportunidade

 

Respondemos neste artigo e lhe mostraremos que elas são uma fenomenal oportunidade!

 

Em dois de nossos artigos (este) e (este), falamos sobre a imagem de sua logomarca, sua cores, e assim o que ela deve passar para seu cliente.

Para isso usamos como exemplo a academia com mais unidades no país, a SmartFit, suas cores cinza e amarelo, qua aliás denotam otimismo, confiança, sobriedade e acolhimento.

Saiba mais sobre a logo da Smart aqui.

Smart vazia = oportunidade fitness

Porém hoje vamos discorrer sobre os as diversas nuances que envolvem o mercado e a disputa nele.

Entre uma academia low cost com a academia tradicional, dificuldades, oportunidades, imagem para os clientes,benefícios e ainda algumas dicas de como concorrer com as academias de baixo custo.

Mas afinal, existem mesmo benefícios que elas podem trazer para sua academia e para o mercado em si?

É claro que sim. Mas quais são eles? E mais importante, como usá-los a seu favor?

 

O mercado em que estamos inseridos:

 

Tamanho do mercado mostra oportunidade

 

Comumente nos comparamos aos EUA devido a fatores populacionais, diferenças de etnias, tamanho do país e população, portanto, podemos nos comparar no fitness também.

Com mais de 10% da população associada a uma academia e mais 7% a health centers, eles obviamente são o maior mercado fitness, disparados.

Comparando com o Brasil, em porcentagem, usando nossa última estatística, de 2013:

 

Somos apenas 3% de associados, como mostra esse excelente artigo de Ana Gabriela Verotti Farah para a The Brazil Business.

Porém, ao mesmo tempo, como diz o mesmo artigo, somos o segundo lugar em número de academias, “perdendo” justamente para os Estados Unidos.

Podemos achar que isso seja muito, mas a verdade é que, no Reino Unido, 14% das pessoas é cliente de alguma academia.

 

Mercado fitness inglaterra

Números do mercado fitness inglês

 

Se pensarmos que se trata de um país frio, e com muito menor culto ao corpo que o Brasil, estas estatísticas são muito intrigantes.

Os números ainda nos mostram que nos EUA, em média, cada academia tem 1.527 clientes, no Reino Unido, 1.492.

No Brasil esse número é de apenas 270 alunos.

 

Isso sem contar que provavelmente existam muitas academias ilegais por aqui e que o número de “home gyms” nos EUA é absurdamente maior.

O que é ainda pior, é que 50% da nossa população é completamente inativa fisicamente.

 

Portanto, podemos chegar a algumas conclusões:
  1. Não trabalhamos o marketing necessário;
  2. Somos um país extremamente caro, e disso não há dúvidas (leia aqui nosso artigo sobre custos)
  3. Sendo caro, possivelmente nosso tempo também seja escasso;
  4. A população ainda não entendeu os benefícios da atividade física (também problema de marketing);
  5. Se esses problemas não são solucionados, sobram academias para esse total de público, e assim, realmente não haveria espaço para todos no mercado.

 

Mas o que isso tem a ver com as academias de baixo custo?

 

Simples, o mercado deles é solucionar estes problemas, e é ai que você ganha.

 

 

Benefícios ao mercado

 

 

As dificuldades geradas para o seu negócio com a criação e ascensão das academias baratas são bem óbvias, bem como as forças que este estilo de negócio possui:

 

Frase oportunidade

  • Baixo custo com funcionários;
  • Equipamentos de ponta, devido a contratos gigantescos com as maiores fabricantes*
  • Quantidade enorme destes equipamentos;
  • Forte estudo de mercado;
  • Grandes campanhas de marketing;
  • Grande exposição na mídia não paga
  • Profissionais de gestão gerindo um negócio.

 

 

*Como exemplo podemos citar a Smart Fit com a Technogym – este contrato foi mudado enquanto escrevíamos esse artigo

 

Falando realmente como um negócio e a partir do mercado, as academias de baixo custo tem absurdo investimento em marketing.

Todo ele centralizado e feito de forma a expandir o mercado para não usuários, como qualquer franquia de grande porte.

Os gestores de marketing destes negócios são profissionais qualificados e renomados, trabalham com uma grande quantia financeira gerada pelos donos das franquias e pela quantidade destas e de alunos.

Ou seja, enquanto você aposta em folders e parcerias no seu bairro, eles espalham mídia pela cidade como um todo, na TV, no rádio, na internet, etc.

É exatamente o mesmo que comparar uma hamburgueria de bairro com o McDonald’s, mas a pergunta mais importante é, isso é ruim?

 

Respondo, não. Não é! Trata-se de uma oportunidade.

 

Assim como mostra o artigo do The Guardian sobre as academias no Reino Unido, e como aconteceu com o McDonald’s de criar uma demanda por hambúrgueres (Somente o tripadvisor aponta 57 apenas em Curitiba) as academias de baixo custo são a porta de entrada para milhões de consumidores destes produtos.

Se, por um lado elas tiram alguns de seus alunos que conseguem treinar sozinhos e já tem conhecimento de treinos, bem podem “traumatizar” alguns novos clientes que não tenham esse conhecimento prévio.

E isso acaba gerando a vontade de treinar em inúmeros possíveis novos clientes.

 

Portanto, essas academias simplesmente ampliam o SEU mercado!

 

Fato é que, as porcentagens acima não mentem, temos 17% da população como possível crescimento, somente se comparados aos EUA.

Enfim esses números só podem nos levar a crer que foram justamente as low cost que trouxeram essas pessoas para o mercado.

 

Afinal, quando seu negócio teria faturamento suficiente para uma propaganda na Globo em horário nobre?

 

Outro motivo de ascensão destas academias de baixo custo, como mostra a NYMAG, foi a diminuição, devido à crise de 2008, da renda familiar.

Esta crise chegou tardiamente ao Brasil e que ainda nos assola, devido a mais e mais erros político-econômicos.

Porém, como todas as outras crises, e como conhecemos o funcionamento do mercado, logo irá passar.

E quando passar, estes clientes tendem a querer um serviço melhor, mais exclusivo ou melhor localizado, então dê a eles.

 

Ou seja, estas academias geram mais benefícios que prejuízos ao mercado.

 

Portanto a real oportunidade é transformar essa inclusão em um benefício para você, e o problema:

 

Aprender e entender como fazer isso.

 

Contrainner academia descobriu oportunidade

 

 

 

 

 

Como então usar as low cost como uma oportunidade?

 

As empresas que trabalham no sistema low cost não são exclusividades do mercado fitness.

Similarmente em outros mercados algumas empresas fazem isso tanto aqui quanto no exterior (muito mais no exterior):

  • Bic para a Gillette;
  • Gol para a TAM
  • JetBlue para American Airlines
  • dezenas de energéticos fazem com a Red Bull
  • Dezenas de PCs para a Dell
  • Zara para Armani, etc…

Lembre sempre:

 

preço valor qualidade

 

A partir destes poucos exemplos (pense neles mais um pouco), podemos ver algumas diferenças nítidas, e as mais óbvias são:

 

Atendimento diferenciado, inovação, qualidade = geração de valor.

 

Como mostra esta reportagem da Harvard Business School, existem algumas maneiras de se combater o avanço destas opções de baixo custo:

  • Diferenciação;
  • Inclusão das duas formas;
  • Guerra de preços.

 

Pois bem, acredito que se você está lendo este artigo, sua última ideia seja brigar por preços com academias com dezenas de unidades e gigantesca capacidade de investimento.

 

Guerra de preços

Garanto que essa não é uma batalha que você deva querer entrar.

 

Porém, se pretende fazer isso, tenha em mãos capacidade igual ou maior e prepare-se!

Ninguém vence essa guerra.

 

 

 

Pois a batalha é das mais árduas, e normalmente de trincheiras e com inúmeras baixas.

Esta não é a oportunidade que você busca.

 

Meu conselho portanto é: deixe as de baixo-custo brigarem entre elas e foque no que pode lhe trazer maiores benefícios.

 

Mas como inovar em um mercado onde praticamente tudo é igual? Como criar a oportunidade?

 

Então, o ponto inicial passa por chamar atenção para si, a segunda, demonstrar qualidade naquilo que entrega, como?

Beleza chama atenção, pois então, invista em um ambiente bonito.

Uma boa logomarca (falamos sobre ela neste post), site e imagens, equipamentos e acessórios de qualidade.

Ou seja, gerar valor! Leia mais aqui.

 

Contudo, lembre-se, as grandes marcas Fitness vendem por praticamente metade do preço para as low cost.

 

Portanto fica absurdamente difícil trabalhar com o mesmo produto.

Cito dois exemplos de academias aqui de Curitiba:

Ambas diferentes entre si, com públicos diferentes, mas que investiram e continuam investindo nessa qualidade e no custo-benefício dos seus equipamentos:

 

 

Estas academias, clientes da Fitmall, investem muito em diferenciais de atendimento e promoções (em breve entrevistaremos os proprietários para conhecer melhor seus negócios).

 

 

Hype oportunidade academia

Academia Hype – Curitiba – PR

 

 

Conclusão: Enfim, elas te ajudam a ganhar delas mesmas

 

 

O que a muitos dos donos de academia sabem é justamente a resposta para ganhar esse mercado:

 

Estas empresas não atendem bem o cliente! Está ai sua oportunidade!

 

No sentido pessoal e formas de passar e montar os treinos como séries repetidas, nenhuma personalização, quase nenhum atendimento, é isso mesmo.

E é aí, demonstrando isso com um bom, mas não caro, aparato de marketing e trabalho que se entra nessa luta pelos clientes.

Pois, de que adianta ter tudo isso se ninguém sabe que você tem?

Então, vamos criar essa oportunidade?

 

A Fitmall fornece projetos de marketing personalizados por parceiros- contate-nos nesse link.

 

Einstein sobre oportunidade

 

 

Enfim, busque hoje mesmo essa oportunidade!

 

 

Não exite em fazer perguntas e entrar em contato, a Fitmall pode lhe ajudar a achar, transparecer e entregar todas estas estratégias, vivemos para isso, esse é nosso trabalho.

 

 

 

fitness é com a fitmall

 

 

 

 

 

Anterior

Próximo

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como podemos ajudá-lo?